25 maio 2014

Porque não foi o Arsenal campeão?

Este é um artigo de opinião. Sinta-se à vontade para discordar, com elevação, na caixa de comentários.

Mais uma época, o mesmo resultado: Arsenal em quarto lugar. E ainda tenho na memória o valente "buuuuu" que se ouviu no Emirates, logo após a primeira jornada, quando fomos derrotados pelo Aston Villa 1-3.

Mas o porquê de termos falhado esta época, uma vez mais? É aqui que direi, a minha opinião, o porquê de isso ter acontecido.

Os jogos-chave

Os jogos contra os clubes do topo da tabela provaram que é preciso obter bons resultados nesses para se correr pelo título (e este ano tivemos uma desgraça de Manchester United). Derrotas estrondosas contra Manchester City (6-3), Liverpool (5-1) e Chelsea (6-0) levaram o plantel de Arsene Wenger a sofrer 17 golos em apenas 3 jogos! Além disso, todos estes jogos foram realizados fora de casa, o que demonstra o quanto a equipa treme ao jogar fora contra os mais fortes. Algo que se terá que trabalhar fortemente na próxima época.


Os jogos contra equipas acessíveis (teoricamente)

Tal como nos grandes jogos, também nestes, teoricamente mais fáceis, a turma comandada por Arsene Wenger fez questão de deitar pontos fora. Ok, o leitor diz: 'Já não temos os unbeaten como em 2003/04'. Correctíssimo! Mas mesmo assim, escusavam de abusar na quantidade de pontos que foram ao ar. O jogo que empatámos 2-2 com o Swansea no Emirates foi aquele que nos fez dizer adeus ao título. Mas não foi só esse. Houve a derrota logo na primeira jornada em casa com o Aston Villa (1-3) que só demonstra o quanto preparamos mal as épocas, o empate com o West Brom (1-1) e Southampton (2-2). Só aqui aniquilávamos a distância para o primeiro lugar. Se temos que ser fortes contra as equipas 'grandes', contra as 'pequenas' não podemos sequer dar hipótese.


A falta de ambição

A falta de ambição também ajudou na queda do Arsenal. Não foi o principal factor, mas não deve ser desvalorizado. Muitos podem discordar achando que o Arsenal fez um grande esforço durante toda a época, mas no entanto, viu-se claramente em alguns jogos a falta de vontade com que os jogadores estavam em campo. Não lutavam, não corriam. Cansaço? Talvez. Mas depois no jogo seguinte voltavam com energia e disputavam o jogo, o que nos levava a pensar: 'Porque não fizeram isto a semana passada?'.


Má abordagem ao mercado

Nos últimos anos o Arsenal nunca foi grande comprador, mas sim vendedor: havia o Emirates para pagar. Mas mesmo assim pedia-se mais a um Clube da dimensão mundial que é o Arsenal. De quem é a culpa? Wenger? Direcção? A verdade é que de pouco comprador, Wenger decide estoirar com todos os recordes e gasta cerca de €50M em Mesut Özil. Foi uma grande contratação? Foi, sem dúvida. Mas insuficiente. E isso revelou-se mais tarde. A equipa jogava bem, mas era muito limitada. O mercado de inverno seria bom para retocar os pontos mais críticos do plantel, principalmente o ataque. E o que se comprou? Ninguém. Veio emprestado o sueco Kallstrom... lesionado!
De qualquer forma, o Arsenal não pode deixar continuar a fugir jogadores da maneira que deixa. Não consegue ganhar a corrida de um. E acredito piamente que o Özil veio porque foi uma transferência guardada no segredo dos deuses. Senão, a esta hora, até esse estaria a jogar noutro lado qualquer, menos no Emirates.


As lesões

Em certos momentos da época, pôde-se comparar a enfermaria do Emirates à de um campo de guerra. Com Diaby como paciente habitual, muitos lá passaram para lhe fazer companhia: Arteta, Wilshere, Sagna, Podolski, Rosicky, Ozil, Cazorla...
Mas destaco três lesionados que tanta falta fizeram.
Walcott: Ainda no estaleiro vai, falhar o mundial do Brasil. Seria certa a sua convocatória na selecção dos três leões. A rotura de ligamentos, contraída no jogo frente ao Tottenham, fez com que a ausência do avançado levasse o Arsenal a ser mais lento no jogo. E ainda: menos um avançado para as contas de Wenger.
Koscielny: Desde Janeiro de 2012, que os Gunners não perdiam um jogo para a Premier League se a dupla centrais Mertesacker-Koscielny jogasse junta. Quando o francês foi substituído na derrota por 6-3 frente ao Manchester City, as coisas aí começaram a correr realmente mal. Thomas Vermaelen substituiu o francês, mas sem dúvida que a dupla Mertesacker-Vermaelen fica muitos furos abaixo da dupla Mertesacker-Koscielny.
Aaron Ramsey: A lesão do galês foi uma das grandes causas para a queda na classificação do Arsenal. Ramsey foi dos melhores jogadores esta época (senão o melhor na minha opinião) e a sua ausência fez faltar a força ao motor do Arsenal. Espero um Ramsey na máxima força na próxima época, para uma real luta pelo título.


O calendário

A primeira metade da época do Arsenal foi muito boa. Já a segunda...
Entre 28 de Janeiro e 6 de Abril, os Gunners jogaram com todas as equipas do top 10 da tabela e ainda com o Bayern de Munique para a liga dos campeões (detentores do título). Apesar da luta pela vitória em todos esses jogos, os homens de Wenger conseguiram apenas 5 vitórias em 15 jogos. Dá uma percentagem de vitória de 33,3%, o que significa uma vitória em cada três jogos... Muito pouco para quem lutar pelo título.


Falta de disciplina e atitude

Algo que tem faltado nos últimos anos tem sido a disciplina e atitude em campo. Existem alguns jogadores que são líderes-natos, e tenho como exemplo Per Mertesacker, mas é um dos poucos no meio de outros. Muitos dos jogadores são bastante novos e com falta de experiência, mas também não é só culpa deles. Tendo em conta o plantel jovem que temos, devería haver mais disciplina e rigor por parte dos responsáveis para saber guiar os mais novos. E falo agora em falta de disciplina quando já tivémos um Patrick Vieira, um Sol Campbell, um Dennis Bergkamp, um Thierry Henry...


Estes são os pontos principais que me levam a concluír o porquê do actual insucesso na Premier League, nos Gunners. Caro leitor, esteja à vontade para discordar.


Texto de opinião: Ricardo Pires
Partilhar:

1 comentário:

  1. Concordo em grande parte.
    O ponto onde discorde mais talvez seja os jogos contra equipas acessíveis (teoricamente).
    Acho que no geral obtivemos bons resultados contra estas equipas. Em relação a épocas anteriores nem se compara, melhoramos substancialmente neste jogos.
    É certo que podíamos pedir mais, mas isto é a essência da Premier League, cada jogo é muito difícil, todas as equipas dão tudo.
    Acho que não foi por aqui que perdemos o título. Foi mesmo nos jogos com os grandes. Isto a nível de jogos.

    ResponderEliminar

Cada comentário é da exclusiva responsabilidade do seu autor.
Comentários que fujam a assuntos relacionados com o Arsenal serão imediatamente removidos.