29 janeiro 2015

Uma nova alma para 2015


Historicamente o Arsenal costuma ter Invernos muito frios, com os meses de Janeiro, Fevereiro e Março a serem autênticos marcos negativos nos anos recentes. Exemplo disso foi precisamente o ano 2014, em que neste período, o Arsenal disse adeus às aspirações ao título inglês e abandonou a Champions League. O início de um novo ano, é por norma muito complicado para a equipa do norte de Londres, mas este ano, 2015, as coisas podem ser bem diferentes.

É de reconhecer que o Arsenal não teve um início de época ideal. Os Gunners chegavam a 2015 fora do top four, também já eliminados da taça da liga, e o plantel atravessava uma razia de lesões.

Mas Arsène Wenger pode estar mais confiante no que resta da época. Janeiro trouxe uma nova alma à equipa. Apesar de começar o ano com o pé esquerdo (derrota por 2-0 frente ao Southampton), os Gunners conseguiram uma incrível vitória em casa do campeão inglês que pode trazer uma auto-confiança enorme à equipa. Em 2014, os Gunners tinham sido autenticamente humilhados nos jogos fora com os grandes, mas em 2015 já há um primeiro sinal de mudança nesse aspecto.

O Arsenal já viu também as suas probabilidades de revalidar a FA Cup aumentadas. A equipa conseguiu bater o Brighton e está nos oitavos de final onde jogará frente ao Middlesbrough em casa. Com equipas como Chelsea, Manchester City, Tottenham, Swansea e Southampton já eliminadas e Liverpool e Manchester United a tropeçarem frente a adversários menores, os Gunners assumem estatuto de favoritos à conquista da taça.

Depois de um 2014 absolutamente para esquecer no que toca a lesões, os regressos de Mesut Özil e Theo Walcott podem ser providenciais para o que resta da época. Os dois jogadores apenas começaram jogos simultaneamente a titular em apenas seis ocasiões desde o início da época passada. Se o azar finalmente deixar de assombrar o Emirates e jogadores chave (principalmente Alexis) conseguirem manter a forma e não se lesionarem, podemos prever uma equipa muito forte não só dentro de campo, mas também recheada de opções de qualidade no banco.

Opções essas que foram reforçadas no mercado de Janeiro. A contratação de Gabriel Paulista é uma adição muito bem vinda ao plantel. Era crucial a contratação de um defesa central. Desde o início da época que era evidente que o ponto fraco do Arsenal estava a ser a defesa, muitas vezes com jogadores adaptados à posição e, com a equipa a produzir golos, não conseguia segurar a vantagem. Gabriel é um jogador de 24 anos, muito forte no jogo aéreo, no desarme e antecipação. É um defesa completo. Apesar de apenas ter cerca de 12 meses de futebol europeu, Gabriel conseguiu afirmar-se no Villarreal, equipa com o terceiro melhor registo defensivo da liga BBVA. Não vai ser fácil para Gabriel adaptar-se ao futebol inglês, ainda para mais com a época em andamento, mas vai sem dúvida ser útil no que resta da época e uma opção de futuro. Mertesacker e Koscielny têm finalmente competição, e um substituto a altura que tantas vezes fez falta e não foi devidamente compensado com a saída de Vermaelen no Verão. Gabriel poderá ainda ser opção na Champions League.

Janeiro trouxe também dois novos médio defensivos. Bielik, que à partida ainda não deve contar nos planos de esta época, parece ter um grande futuro, mas principalmente, Francis Coquelin. O seu empréstimo ao Charlton parece ter-lhe feito muito bem. Coquelin aproveitou bem a ausência de médios na equipa, e está a demonstrar a sua vontade e qualidade. O jovem francês é claramente um upgrade em relação a Flamini, e se mantiver o nível, é certamente um caso que estava fora das contas de Wenger e caiu do céu o médio defensivo que procurava. Nem que seja apenas até ao Verão.

É certo que também vimos sair jogadores de ataque como Podolski, Sanogo e Campbell, todos eles por empréstimo, mas tratam-se todos eles de jogadores pouco utilizados, que não adicionavam muito à equipa esta época, e não será por aqui que vamos diminuir as nossas aspirações.

O Arsenal pode estar assim optimista para o que resta da época. Em boa forma na liga, e com boas possibilidades de avançar tanto na Champions League como na FA Cup os Gunners podem ter este ano um Inverno atípico, que poderá relançar o clube para novas conquistas nesta época que já pareceu perdida. A adição de novos jogadores, bem como a recuperação de outros vão certamente aumentar a capacidade da equipa. Pelo menos assim esperemos.

Depois de um início muito complicado, as coisas parecem estar agora no caminho certo.


André Rodrigues
Partilhar:

2 comentários:

  1. Grande artigo André! Que seja o primeiro de muitos!

    Relativamente ao artigo...
    A abordagem ao jogo com o Manchester City foi fundamental para o resultado final. Se a isso juntarmos o regresso de jogadores importantes e bons reforços como o caso de Gabriel, poderá ser a porta do sucesso para o futuro.

    Coquelin tem estado muito bem, mas não será reforço para o futuro. Precisamos de jogador de "classe mundial" naquela posição. Khedira era muito bom! William Carvalho também.

    As saídas de Sanogo e Campbell não irão fazer tanta falta ao plantel. Já Podolski penso que podia ter jogado mais. Esta época, as poucas vezes que foi chamado a jogo, respondeu sempre bem.

    ResponderEliminar

Cada comentário é da exclusiva responsabilidade do seu autor.
Comentários que fujam a assuntos relacionados com o Arsenal serão imediatamente removidos.